Por cima de pau e pedra

Outra história interessante ocorreu com uma deputada federal, lá pelos idos do início dos anos oitenta e que fora casada com um conhecido político do Pará.

Ela era uma parlamentar que,  inclusive, foi precursora do uso da calça comprida, para mulheres, no Plenário da Câmara. Adversária ferrenha de Jader Barbalho, que estava em seu primeiro mandato de governador, ela não lhe poupava crítica acerbas e permanentes.

Numa dessas oportunidades  em que fazia um discurso muito duro, muito pesado, na verdade, violento em cima de Jader Barbalho,  alguns amigos dele, como os deputados TIDEI de Lima e DEL Bosco Amaral, ambos de São Paulo, tentavam defender o governador, a todo custo mas mas a deputada  não dava qualquer  trégua em seu pronunciamento. Na proporção em que ela foi concluindo  o seu pronunciamento,  culminou com uma frase definitiva sobre a perseguição que desencadearia sobre o governador dizendo que iria combater “esse governador desonesto, safado, corrupto, por cima de pau e pedra”. Ao que o deputado TIDEI de Lima, num bate pronto,  no momento em que ela tomava fôlego, retrucou:

– “Mais por cima de pau do que de pedra, não é, deputada?”

É que a deputada, segundo as más línguas, tinha a fama, em Brasília, de uma vida mais leve, e, no mais das vezes, após a separação,  trilhava caminhos mais livres e solto, normalmente na companhia de oficiais, já que, para sua maior segurança, preferia a companhia da farda dos militares!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *