HOJE É TUDO OU NADA!

Hoje é o dia d das emoções! A partir das 15 horas de hoje, dia 26 de junho do ano da graça de 2018,  vai começar a tensão e o sofrimento da maioria dos patrícios. Hoje ou os sérvios se dobram a maior categoria pebolistica do Brasil ou os brasileiros mostram que se acovardam diante de situações de desafios como esta classificação e, consequentemente, amanhã será um dia deveras triste para todos que tem o futebol dentro da alma.

Mas, vai se verificar algo que, faz algum tempo, não tem demonstrações patentes de entusiamo e de otimismo da sociedade brasileira. Mesmo com todo o pessimismo que domina o sentimento dos brasileiros, o futebol promove uma ampla catarse nacional criando um clima de esperança e fé. Todos acham que vai dar certo e que o Brasil irá para as finais.

Essa  Copa está surpreendendo por uma espécie de nivelamento dos times, quase sem exceção, a não ser o caso de uma Bélgica mostrando um futebol bem organizado, criativo e com a objetividade que se deseja de um grupo defendendo uma nação. Embora os brasileiros torcessem por um insucesso da Argentina, mesmo assim e,  mesmo num jogo pobre, a Argentina classificou-se para as oitavas de final. Aliás o que foi bom para as disputas.

A grande surpresa foi a desclassificação da Alemanha, a campeã mundial atual, que, desde a sua estréia, não vinha  merecendo qualquer crédito ou confiança pois o futebol mostrado no primeiro jogo contra o México foi frustrante e culminou com a vitória, justa e metecida do país latino. E, o mais grave e dcepcionanante foi o desempenho de uma já desclassificada Coréia do Sul. Mas, a própria derrota por dois a zero para os asiáticos mostrou o desencontro e a desorganização dos alemães pois até tomarem o primeiro gol, ainda se acreditava que a sua superoridade seria determinante.

Sendo assim, o resultado da chave supreendeu com a inesperada classificação de México e da Suécia. Coincidentemente os dois jogos apresentaram um mesmo escore de três a zero. O México não foi bem mas, mesmo num sofrimento horrível, arrancou a sua classificação e, vai em frente. A Suécia tem surpreendido por uma certa regularidade embora sem brilho.

Um outro aspecto de relevo é a boa surpresa que foi do desempenho dos chamados ditos times pequenos que mostraram um futebol competitivo e, de um certo modo, ousado! Não decepcionaram. Mesmo a pequena Arabia Saudita que perdeu, de goleada, no jogo de estréia contra a Rússia, nos dois jogos subsequentes foi aguerrida e buscou ser competitiva.

A novidade do árbitro de vídeo representou uma inovação, embora polêmica, pelas paradas que promove, parece que agradou pois permitiu corrigir injustiças cometidas por uma visão parcial dos árbitros. Agora os juízes também sentem-se mais tranquilos e seguros pois não serão crucificados por possíveis equívocos cometidos.

Um fato que chamou a atenção foi o desempenho dos grandes jogadores que, aparentemente, não apresentaram o futebol que exibem nos seus clubes. Nem Cristiano Ronaldo, nem Messi, nem Neymar e nem Salah mostraram desempenho que enchesse os olhos. Apenas Cristiano Ronaldo ao ter conseguido fazer os três gols no empate com a Espanha, apresentou um diferencial em relação aos seus competidores, no que diz respeito ao posto de melhor do mundo. Agora, o  que esperam os brasileiros é que Neymar desencante hoje e mostre todo o talento que o mundo futebolístico está acostumado a assistir. Se isto ocorrer, aí os brasileiros terminarão o dia reanimados e estimulados a acreditar, de volta, neste País que eles tanto amam.

O que se espera é que a seleção brasileira, diga-se de passagem, que está num crescendo e, com certeza, fará um grande jogo com desempenhos brilhantes de Neymar, Philipe Coutinho, William e da maravilhosa parte defensiva da equipe, sairá classificada para as oitavas de final. Claro que as preocupações com as bolas altas na defesa e, com as negligências de Marcelo, serão objeto de preocupações maiores de Tite.

Mas, se Deus quiser e, como Ele é brasileiro, há de querer, esse será um dia especial para todos os aqaaqqqpatrícios. Dificilmente irão experimentar a frustração e o desencanto de uma eliminação mesmo que o adversário seja bom e competitivo como é o caso da Sérvia. Brasil, Brasil, Brasil a hora e a vez são dos brasleiros.

Este comentário será publicado sem revisão e sem maiores cuidados com o estilo. Apenas representa a crença e o voto de confiança do cenarista, um torcedor “doente” do futebol brasileiro, de que o Brasil chegará lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *